Efeito luz e sombra

Efeito luz e sombra

Na Consultoria de Imagem toda mudança é baseada na intenção da cliente.

Nesse sentido, antes da técnica de luz e sombra, mais conhecida como “mechas”, ser eleita para uma cliente, há que se considerar algumas análises, dentre elas, a de coloração pessoal (a fim de saber quais os tons de mechas são mais adequados a pele da cliente), a facial (para identificar as “áreas” que queremos destacar ou não em seu rosto), bem como a análise visagística, que tem o objetivo de alinhar a mensagem desejada às cores, linhas e formas que revelem tal intenção.

Explico. Quanto à coloração pessoal existem pessoas com o subtom de pele quente, frio, e neutro, sendo que cada um desses possui cores de mechas mais adequadas. Dentre outras, o dourado e o caramelo estão alinhados às peles quentes, o palha e o champanhe às frias, e a mistura equilibrada entre elas às neutras.

No que tange à análise facial, as proporções, os pontos expressivos do rosto deverão ser levados em conta na hora de iluminar uma determinada área, vez que a luz proporciona destaque. Exemplo: se a pessoa tem a região da testa como zona de dominância no rosto (e deseja amenizá-la), talvez não seja indicado colocar mechas próximo àquela região, já que a mesma ficará em evidência, e, consequentemente, parecerá maior.

Referente à análise visagística, especialmente a cor dos cabelos deverá traduzir a mensagem que a cliente deseja, isto é, se ela quer expressar força, credibilidade e poder, e já possua em sua imagem elementos físicos que remetam à docilidade, ingenuidade, meiguice, acessibilidade, as mechas podem não comunicar com tanta eficácia a sua intenção, já que o loiro está ligado a universos delicados/leves, entre outros.

Claro, como sempre digo, tudo poderá ser equilibrado, conforme o desejo da cliente, tanto na cor como na estrutura de corte, além, é claro, da utilização de outros elementos visuais na sua imagem.

Por isso, qualquer mudança na nossa imagem precisa ser bem planejada. Caso contrário, além de não sermos percebidos pelos outros como desejamos, não nos reconheceremos, e, consequentemente, não nos sentiremos plenamente realizados.

Lindo dia, pessoas!

Sabrina Silvian
sabrina.fnde@gmail.com
Sem Comentários

Escreva um Comentário